top of page

Conheça o Projeto de Compensação de Crédito de Carbono - Seguro Rural

O projeto faz parte do Programa Nacional de Lavouras Resilientes e surge como uma iniciativa inovadora, visando não apenas preservar, mas continuar transformando a cafeicultura em uma cultura cada vez mais sustentável.




 Programa Nacional de Lavouras Resilientes


Diante das ameaças crescentes provocadas pelas adversidades climáticas para o setor cafeeiro nacional, surge o Programa Nacional de Lavouras Resilientes que representa uma abordagem pioneira, com o objetivo não só de conservar, mas também de evoluir a cafeicultura para um modelo sustentável e ainda mais resistente.


Sob a metodologia MRV (Mensuração, Relato e Verificação), este programa busca estabelecer parâmetros rigorosos para a avaliação do balanço de emissões e remoções de carbono equivalente em cafezais. A transparência, desde a fase de monitoramento até a divulgação de boas práticas agrícolas que transformem as plantações em sumidouros de carbono, é fundamental.


A verificação, que é a última etapa do processo, representa a garantia oferecida aos consumidores finais. A precisão e confiabilidade na rastreabilidade do café garantem que o produto tenha sido cultivado seguindo os padrões de sustentabilidade estabelecidos pelo programa.


Seguro Rural


Compensação de Crédito de Carbono Seguro Rural é um projeto em andamento, que faz parte do Programa Nacional de Lavouras Resilientes. Ele visa compensar o crédito de carbono no pagamento da apólice de seguro rural. O engajamento do MAPA, seguradoras, cooperativas, associações e entidades interessadas em promover práticas sustentáveis na agricultura é essencial. A colaboração e a implementação de ações concretas são fundamentais para tornar essa ideia uma realidade.


"Vale ressaltar que o Brasil, reconhecido como uma potência mundial na compensação de carbono através de soluções climáticas naturais, está diante da oportunidade de liderar uma revolução na agricultura, direcionada à resiliência e à sustentabilidade. Contudo, para que este potencial se materialize, é imperativo que haja um apoio de toda a cadeia cafeeira, tanto em termos técnicos quanto financeiros, no desenvolvimento de paisagens e lavouras mais resistentes, fundamentadas em boas práticas agrícolas”, analisou Silas Brasileiro, presidente do Conselho Nacional do Café (CNC).

O que é Crédito de Carbono?


Crédito de carbono é um mecanismo financeiro que representa a redução de uma tonelada métrica de dióxido de carbono equivalente (CO2) ou sua remoção da atmosfera. Trata-se de uma moeda simbólica que corresponde a uma tonelada de Carbono que não foi emitida na atmosfera. Ou seja, a cada uma tonelada é gerado um crédito, sendo este certificado segundo os critérios do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), que regula o mercado de créditos de CO2.


Esses créditos e compensações são adquiridos mediante várias iniciativas e projetos que buscam diminuir as emissões, como a produção de energia renovável, melhorias na eficiência energética e reflorestamento, por exemplo. Cada projeto passa por uma avaliação rigorosa para assegurar sua legitimidade e a precisão das reduções de emissões.


Desse modo, as empresas conseguem reduzir seu impacto ambiental, já que o crédito de carbono é uma forma de compensar as emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa): aqueles que deixarem de despejar gases de efeito estufa na atmosfera podem vender esse serviço prestado. Esse conceito e a comercialização são iniciativas que contribuem para tal objetivo.


A negociação de créditos de carbono é um processo estruturado que ocorre principalmente em mercados regulamentados deste setor. Em essência, os mercados de carbono são locais onde créditos e compensações de carbono são transacionados. Em síntese, esses mercados oferecem uma plataforma para que indivíduos, empresas e governos comprem créditos ou compensações para suas próprias emissões, ao mesmo tempo, em que incentivam investimentos em projetos sustentáveis que gerem créditos de carbono.


Conclusão


O debate sobre o seguro, a compreensão dos produtores sobre o tema, assim como o progresso tecnológico, são primordiais para que o programa aliado ao crédito de carbono seja bem-sucedido e assim, promover o desenvolvimento de uma agricultura cada vez mais sustentável. Além disso, é necessário ampliar a compreensão prática e viabilidade dessa estratégia, bem como as vantagens e desvantagens relacionadas ao projeto.


Outro ponto a ser levantado é sobre as empresas que operam projetos de compensação de carbono que estão expostas a vários riscos. Em alguns lugares do mundo, o seguro paramétrico já é utilizado para cobrir projetos de compensação de carbono e pode desempenhar um papel significativo no apoio ao crescimento desse mercado. Já pensou nisso?


Fonte: CNC


Deixe a sua opinião nos comentários:

Comments


bottom of page